Nº 2440 - Maio de 2005
2440 - Maio de 2005
EDITORIAL - O Ensino Superior Militar
General
Gabriel Augusto do Espírito Santo
Desde há tempos que a questão do Ensino Superior Militar tem levantado interrogações, quer do lado da Instituição Militar quer por parte da Universidade.
 
Os comandos militares interrogam-se sobre o melhor caminho para formar comandantes para uma sociedade do conhecimento. Diferente de outros modelos do passado, e ainda não definido, na nova sociedade, valores, crenças, sentimentos, vivências e relações, procuram caminhos. A sua segurança está a ser afectada por diferentes ameaças, os novos tipos de conflitos violentos tornam mais difícil a distinção entre a paz e a guerra, os instrumentos militares do estado, antes de servirem para fazer a guerra, são cada vez mais utilizados para a prevenir e manter a paz e nas suas missões, «outras operações que não a guerra», passaram de esporádicas a frequentes. (...)
Intervenção do General CEME no Colóquio do Conselho Nacional de Avaliação do Ensino Superior, no IAEM, em 03MAR05
General
Luis Valença Pinto
Senhor Presidente do Conselho Nacional de Avaliação do Ensino Superior
Senhores Presidentes do Conselho de Reitores e Magníficos Reitores
Senhores Almirantes e Generais
Senhores Professores
Minhas Senhoras e meus Senhores
 
 
O Exército felicita o Conselho Nacional de Avaliação do Ensino Superior por esta iniciativa.
 
Foi com muita satisfação que pudemos responder positivamente à intenção de realizar o colóquio nas nossas instalações e concretamente no Instituto de Altos Estudos Militares.
 
É com gosto que somos anfitriões e é com o maior interesse e elevada expectativa que o Exército participa nestes trabalhos, através designadamente dos Oficiais Generais que detêm as mais elevadas responsabilidades no sistema de Ensino Superior do Exército no nível das Pós-graduações, das Licenciaturas e do Ensino Politécnico. Associamo-nos de parte inteira e como parte natural às exigentes motivações Nacionais e Académicas que identificamos neste colóquio.
Em nome do Exército dou as boas vindas a todos os ilustres participantes. (...)
Uma Cronologia da História do Ensino Superior Militar em Portugal
Major-general
João Jorge Botelho Vieira Borges
Capitão-de-mar-e-guerra
António José Duarte Costa Canas
O objectivo da presente cronologia passa por apresentar, de modo sucinto, os grandes marcos da História do Ensino Superior Militar (ESM) em Portugal, agregando, de modo muito resumido, os acontecimentos e as instituições mais significativas dos três ramos das Forças Armadas. (...)
 
Algumas questões relativas ao Ensino Superior Militar
Tenente-general PilAv
António de Jesus Bispo
As considerações que se seguem serão genéricas, descondicionadas e des­com­prometidas. Não se seguirá a metodologia clássica, com apresentação de propostas baseadas em referências bibliográficas certificadas, ou em dou­tri­nas aprovadas, assim como não existe outra motivação que não seja de natureza académica ou de exercício intelectual.
As reformas do ensino superior, ou a qualquer outro nível de ensino, de­vem ser isso mesmo: reformas. A revolução poderá existir quanto a um prin­cípio, a uma ideia básica, nunca em relação ao sistema no seu conjun­to, cuja reconstrução ou melhoria tem sempre um carácter evolutivo, relativa­men­te lento. A título de exemplo aí temos o que se designou por Processo de Bolonha, iniciado há cerca de seis anos, na sequência de programas anteriores, e que deverá estar imple­men­ta­do apenas em 2010.
 
As razões para se seguir esta via da reforma parecem claras. Todas elas têm uma relação com o tempo. Apesar da construção prática se poder ir fazendo, peça a peça, ela deve no entanto ser concebida na totalidade, com uma ideia cla­ra daquilo que se vai materializar ao longo do tempo - criar essa ideia, con­ce­ber esse plano, colocar cada uma das peças, leva tem­po. (...)
Subsídios para a Reforma do Ensino Superior Militar em Portugal
Major-general
João Jorge Botelho Vieira Borges
Uma leitura cuidada de alguns documentos estruturantes do ciclo de planeamento estratégico da Defesa Nacional (DN), como os sucessivos programas do governo ou os últimos Conceitos Estratégicos de Defesa Nacional (CEDN), leva-nos a concluir, que está subjacente ao pensamento político e estratégico nacional, a necessidade de umas Forças Armadas (FA) mais “conjuntas”. E as áreas de actuação situam-se normalmente ao nível de três vectores de intervenção, sem dúvida estruturantes de cada um dos Ramos e necessariamente das FA, respectivamente: o Ensino Superior Militar, a Saúde Militar e os Estados-Maiores.
 
Optámos mais uma vez por desenvolver o vector do Ensino Superior Militar (ESM), quer porque constitui uma área à qual estamos ligados há vários anos, quer porque pensamos que constitui a área mais estruturante de toda a coluna vertebral das Forças Armadas (e Guarda Nacional Repu­blicana - GNR), quer ainda porque representa o vector de futuro e para o futuro. (...)
Bolonha e a Escola Naval
Capitão-de-mar-e-guerra ECN
Jorge Manuel Pereira da Silva Paulo
Como outros aspectos da integração europeia, o Processo de Bolonha faz sobressair as tensões entre os desígnios europeus e as soberanias nacionais; a óbvia ligação destas ao ensino superior militar (ESM) obriga a reconhecer a tensão entre Bolonha e este regime. Talvez tão relevante, é a tensão entre Bolonha e a tradicional autonomia universitária, de que, embora dum modo muito especial, o ESM gozava.
 
De facto, ao visar o incremento da mobilidade dos estudantes universi­tários na Europa, Bolonha colide directamente com princípios tradicionais e estruturais do ESM; entretanto, na Marinha, reforma o velho debate “mais académica versus mais técnica” formação dos oficiais. Com outra origem, e coerente com Bolonha, o sistema de avaliação do ensino superior veio também ajudar a reformar este debate. (...)
O Ensino Superior Militar na Força Aérea Portuguesa
Tenente-coronel
Armindo Manuel Elias Barroso de Sampaio
A Academia da Força Aérea (AFA) é uma escola universitária não in­tegrada em universidade, na dupla tutela dos Ministérios da Defesa Nacional e da Educação, tendo como objectivos a preparação de nível superior - em diversas áreas - de um conjunto coerente de pessoal especializado para desempenhar a multifacetada actividade aeronáutica militar. (...)
Capa da Revista

Última revista publicada:

Nº 2605/2606 - Fevereiro/Março de 2019

Avatar image
Capa da Revista

Assinaturas anuais

REVISTA MILITAR @ 2019
by CMG Armando Dias Correia