Nº 2578 - Novembro de 2016
Crónicas Bibliográficas

Resposta ao Jiadismo Radical

Nuno Lemos Pires

 

Resposta ao Jiadismo Radical: políticas e estratégias para vencer grupos como a Al-Qaeda ou o DAESH, é um livro da autoria do coronel Nuno Lemos Pires (que também é Sócio efetivo da Revista Militar), publicado pela Nexo Editora, no qual o autor ao abordar estratégias para vencer grupos radicais, defende que “a resposta tem de ser global e abrangente, o que passa efetivamente pelo desenvolvimento de uma verdadeira estratégia europeia e não da colagem de banalidades que normalmente recebe esse nome”. Um dos méritos deste livro é  o de dar esperanças nos caminhos do combate ao terrorismo.

Na introdução caracterizadora do fenómeno em apreço, o coronel Lemos Pires desperta desde o início do seu estudo a curiosidade do leitor para o facto de “haver [para o mesmo] soluções e modalidades de resposta que terão de ser globais, alargadas no tempo, geracionais, formativas e construídas para serem duradouras”.

Depois de tratar as origens do fenómeno liadista e radical (os Estados e a conflitualidade entre Estados, o crescimento do jiadismo radical e o periodo de 11 de Setembro de 2001 ao Daesh em 2014, o autor disseca as ações dos jiadistas radicais, da violência ao terrorismo, numa abordagem holística de ameaças e riscos e caracteriza a fenomenologia atual do problema “explorando” os fatores potenciadores e os riscos “dentro de casa”.

É nos capítulos da decisão política (os três patamares da consciência cultural e o repor equilíbrios fundamentais) e na ação estratégica (estratégias interventiva e direta, de contenção e reativa) que o autor nos coloca perante a reflexão (dúvidas) das possíveis respostas (soluções).

Uma análise sobre o exemplo de Portugal e uma reflexão final encerram esta obra e levam a meditar sobre a “centralidade” do País e o papel das Forças Armadas perante os fenómenos de radicalismo, corroborando o Prof. Doutor António José Telo, no texto introdutório:  “Uma das características fundamentais do nosso tempo é a crise dos valores tradicionais, sejam os religiosos ou outros. É um reflexo da crise do modelo de desenvolvimento das sociedades industriais, do impasse a que acabou por conduzir em muitas sociedades, que sentem a futilidade de apostar tido num crescimento numérico, com as suas consequências catastróficas de longo prazo, sem muitas vezes entender as suas causas.”

A Revista Militar felicita o autor e a Nexo Editora, pela publicação deste livro e agradece o volume que foi ofertado para a Biblioteca.

Major-general
Adelino de Matos Coelho
Gerar artigo em pdf
2017-06-06
1101-1102
168
168
Avatar image

Major-general

Adelino de Matos Coelho

Habilitado com os Cursos de Infantaria, da Academia Militar, Geral de Comando e Estado-Maior e Superior de Comando e Direção, do Instituto de Altos Estudos Militares; possui outros Cursos de que se destacam o de Oficial de Informação Pública do Comando Aliado da Europa da OTAN (Bélgica), o Curso Militar de Direito Internacional dos Conflitos Armados, do Instituto de Direito Humanitário de Sanremo (Itália) e o Diploma de Pós-Graduação em Estudos Europeus da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa.

Ao longo da sua carreira, prestou serviço em várias Unidades e Órgãos do Exército, nomeadamente, no Regimento de Infantaria de nº 3, em Beja, que comandou, e no Estado-Maior do Exército, onde desempenhou o cargo de Chefe da Divisão de Pessoal. Além disso, também desempenhou carg

REVISTA MILITAR @ 2017
by CMG Armando Dias Correia