Nº 2431/2432- Agosto/Setembro de 2004
Crónicas - Narrativa Cronológica
Coronel
António de Oliveira Pena

Verões na Revista Militar Julho/Agosto

1854-1904-1954-2004

 
Este tipo de narrativa cronológica, que se iniciou no número de Maio do corrente, para dar a conhecer e interligar vivências e acervos da Revista, há 150, 100, 50 anos e actualidade, mereceu alguns comentários nos quais se destacou a sugestão para que se salientassem peças publicadas nos meses de Julho/Agosto, mas dos três anos em análise (1854/1904/1954).
 
O trabalho pretende-se dinâmico em termos dos leitores visitarem o acervo da Revista Militar, havendo a maior das aberturas ao seu andamento metodológico, apresentando esta narrativa recortes de 1854, 1904 e 1954.
 
No respeitante aos aspectos gerais repete-se que em 1854 a Empresa tinha 28 Sócios Efectivos, os vinte e seis Fundadores e mais dois; em 1904 apenas 17, quantitativo, aspectos biográficos de cada um e ambientes militar e jornalístico, a merecerem investigação face ao estudo da fusão, que ocorreu em Janeiro de 1905; no ano de 1954 a totalidade era de 57 e agora, Julho/Agosto de 2004, embora o Regulamento Interno permita setenta, existem 63 Sócios Efectivos.
 
Em 1854 os Corpos Gerentes (CG) resultavam do “Acordo de 1848”, resumindo-se à Direcção constituída por quatro elementos; há 100 anos, 1904, já existiam Corpos Gerentes (AG/Direcção/Comissão Revisora de Contas) no total de oito. No Verão de 1954 os CG eram 22 (AG/4, Dir/14 e CF/4), sendo o Presidente da Direcção nomeado anualmente pelo Ministro da Guerra de entre os Sócios Efectivos da Empresa. Em 2004 a organização é semelhante à de 1954, mas de vinte elementos. A dinâmica executiva da Direcção tem sido semelhante ao longo de toda a vivência da Revista, sendo cometida há 150 anos a quatro directores, em 1904 a três, há 50 anos a quatro e agora continua-se com Presidente, Director-Gerente e Director-Administrador.
 
Nos aspectos organizativos gerais da Revista salienta-se a grande diferença entre as quatro épocas em análise, 1854, 1904, 1954 e 2004, no que respeita aos Serviços Administrativos, havendo agora nítida melhoria não só em termos quantitativos e qualificativos do respectivo pessoal, mas também nos aspectos de material utilizado e instalações, em relação a 1954 e décadas anteriores.
 
A partir da observação do acervo e dos géneros jornalísticos que percorrem os números dos verões de 1854, 1904 e 1954, apresenta-se muito resumido o que pode considerar-se mais merecedor de estudo.
 
Os objectos de investigação proporcionados pela Revista Militar são muito ricos e podem entusiasmar jovens militares das Forças Armadas de 2004 (QP do Activo) e académicos (dissertações de mestrado ou teses de doutoramento) dos mais diversos âmbitos científicos.
 
Em 1854, há 150 anos, de um modo geral os artigos não eram assinados, constituindo excepção a “Organização Militar” (Sócio Efectivo, Major Gra­duado Cunha Vianna), mas sente-se que a maioria dos trabalhos eram da autoria da Direcção (Redacção). O ano de 1904, há 100 anos, foi de turbulência, o Governo, através do Ministro da Guerra e tendo por base propostas da Direcção da Revista, provocou a fusão de alguns jornais militares existentes na Revista Militar, mas os números do Verão não davam a entender que em Janeiro de 1905 se iniciasse a “2ª Época”. Em 1954, há 50 anos, já nos nossos dias1, vivia-se o ataque ao Estado da Índia e agora, Verão de 2004, mantém-se o enriquecimento do acervo, havendo inovação relativa a 1954 nos editoriais regulares do Presidente da Direcção e nas crónicas do mundo militar.
 
1854 (Julho/Agosto) - há 150 anos
 
- Organização Militar.
Orçamento - Discussão na generalidade
(Julho)
 
Artigo do Major Graduado de Artilharia. J. M. Cordeiro, iniciado em números anteriores, mas que termina no número de Julho.
 
 
 
 
- Teatro da Guerra no Oriente.
(Julho)
 
Apontamentos, descrições e notícias - VI. O Cáucaso
 
 
 
 
1904 (Julho/Agosto) - há 100 anos.
 
- Serviço de Campanha em África.
(15 de Julho)
 
Artigo do Tenente de Administração Militar, A. David Branquinho.
 
 
 
 
- A África sob o ponto de vista Militar e Político.
(31 de Julho)
 
Artigo do Capitão de Infantaria, P. Coelho.
 
 
 
 
 
- Sobre Quadros transitórios do Ultramar.
(15 de Agosto)
 
Artigo do Alferes do Quadro da Índia, L. S. Netto.
 
 
 
 
 
1954 (Julho/Agosto) - há 50 anos.
 
- Do 132º Aniversário da Independência do Brasil.
(Julho)
 
 
 
 
 
- Crónicas.
Militar
 
Trabalho do Capitão do CEM, Orlando Ferreira Barbosa.
 
 
 
Coronel António Pena
Director-Gerente do Executivo da Direcção
 
 
 1 O autor desta Narrativa Cronológica iniciou a carreira militar em Maio e em 08 de Setembro a primeira comissão de serviço no Ultramar, integrado no Batalhão de Caçadores Vasco da Gama, mobilizado na EPI (Mafra). As comemorações do cinquentenário da partida do BCVG para a Índia decorrem na EPI em 11 de Setembro de 2004, havendo uma Exposição sobre o tema: “Índia Portuguesa - 1954/1957. Índia-Goa/Damão/Diu - 2004”.
Gerar artigo em pdf
2009-06-25
0-0
2337
178
REVISTA MILITAR @ 2018
by CMG Armando Dias Correia